top of page

Os Caminhos do Empreendedorismo Internacional para 2023.



1ª ARTIGO 2023

Prezados Amigos do Comércio Exterior e Entusiastas da Internacionalização de Produtos e Serviços Brasileiros e Mundiais.

Com muita alegria, escrevo mais um artigo, e iniciamos o ano de 2023 com muitas novidades, nos acompanhem em nossas redes sociais e peço que leiam e acompanhem todos os artigos, pois, eles têm uma sequência lógica de assuntos no intuito de apoiar nossos seguidores nos desafios da internacionalização.

Primeiramente, gostaria de convidar a todos aqueles que ainda não assinaram, que assinem nossa Newsletter no Linkedin, "Dicas de Internacionalização" onde traremos tudo sobre como internacionalizar sua empresa, produtos e serviços, curiosidades, dicas, informações importantes para aqueles que ainda não acreditam que é possível internacionalizar sua empresa.

O tema de hoje compõe o calendário de toda empresa, empresário ou empreendedor, sendo ele uma startup, um micro, pequeno, médio e por que não, grande empresário.

A pergunta que não quer calar é:

Como empreender melhor e gerar resultados consistentes em 2023?

O mundo pós pandemia, tem aos poucos criado o seu ar de normalidade, com pinceladas de aprendizado e novos costumes, testados a força nos momentos mais duros da pandemia e isso criou resiliência, mas, também um clima de pânico e incerteza, sobre quais os rumos que devemos seguir em mais um ano que se inicia, com isso seguem alguns pontos que devemos levar em consideração para sermos bem-sucedidos nacional e internacionalmente este ano:

1. Investir ainda é o desafio.

Quais são os negócios lucrativos nesse ano, como saber onde colocar seu esforço e dinheiro:

Agregar valor ao negócio, seus colaboradores, parceiros e principalmente entender as dores dos seus consumidores, tanto na esfera de seu negócio a nível nacional, como internacionalmente é um dos melhores caminhos a percorrer e saber se seu negócio ou onde vai investir em 2023, tem chances de decolar.

2. Seja um bootstrapping.

Começar um negócio a partir de recursos limitados, sem o apoio de investidores. Ou seja, nessa forma de iniciar startups, o empreendedor geralmente utiliza recursos próprios para lançar o negócio sem o apoio de fundos de investimento, os últimos anos, com muitos cortes de verbas das big techs, entre outros setores, ganharam destaque as startups que não adquiriram investimentos externos e mantiveram o bootstrapping como modelo de negócios. Saber ser forte e resiliente nesses momentos e controlar bem o caixa é fundamental.

3. Liderança com as equipes.

A importância de valorizar seu pessoal, seja ele próprio, terceirizado, conselheiros e/ou consultores é fundamental no front da batalha de conseguir clientes e satisfazer uma humanidade que tem pressa e pouca compreensão e percepção de ser mais seletiva e não seguir como uma manada, então o cuidado com sua equipe é fundamental, no momento de traçar as metas que sejam tangíveis e principalmente atingíveis em um cenário que cada vez mais a pressão por resultados, seja lá quais forem, é posta no ombro de cada membro da empresa, como se fosse uma batalha do apocalipse, mas, sem um Salvador que vai guiar a sua empresa para o Céu.

4. Treinamento e foco.

Quanto mais você temer alguma coisa e não estiver focado e treinado, maior é a possibilidade de as coisas erradas acontecerem. Se o seu negócio quer prosperar principalmente internacionalmente é fundamental um time motivado, entusiasmado, comprometido e de alta performance, com isso os investimentos em excelência, conhecimento e capacitação são estratégicos e uma das prioridades de qualquer empreendedor. É importante não apenas buscar por profissionais curiosos, competentes e que se mantenham atentos às novidades do mercado, mas também possibilitar oportunidades de crescimento para eles e quando forem buscar tais profissionais, não esperar currículos perfeitos, mas, sim sensibilizar suas areas afins que existem profissionais que podem ser treinados e conseguirem resultados muito, mas, muito melhores com toda essa motivação.

5. Aprenda a não temer os desafios e o incompreensível.

O grande desafio das últimas décadas são os profissionais e empreendedores acompanharem o boom de novas tecnologias de inovação nos mais diversos setores, e principalmente os setores bases de economias, serem mais assertivos e receptivos a essas mudanças, as indústrias que ainda contemplam a base de tudo, tem essa dificuldade de renovação e principalmente de conceitos mais ágeis e adaptáveis aos novos mundos e as novas dores da população e dos seus clientes sejam eles B2B ou B2C, vivemos em uma era, de descobrimentos, mas, também de muitas pessoas , os chamados "coachs" experts e espertos da internet, levarem a população a uma leviandade desenfreada e demonstrar diversos caminhos que não são os melhores, isso tem trazido, perdas desacerbadas de empresas que não conseguem filtrar o melhor caminho e a tendência, correta do mercado, mas, se embrenhar nesse novo mundo é preciso, com isso, não tenham medo de se aprofundar no novo, mas, sempre com fundamentos sólidos de empresas que a centenas de anos, conseguiram de adaptar a todas as mudanças do mundo e entenderam que a solidez, de seus produtos e serviços, versatilidade, flexibilidade e principalmente a tradição, são peças fundamentais para se adaptarem aos novos tempos.

6. Criação, Criatividade e meios de pensar fora da caixa.

Se você puder escrever seu problema claramente no papel, muito provavelmente ele será resolvido mais rapidamente, com isso, o grande problema de você ser um empreendedor é que ninguém irá te dizer o que você deve fazer, então, aprenda a ser um pensador independente e se munir de informações que você seja capaz de tomar suas próprias decisões.

7. Planejamento.

Como uma guerra, conquistar pequenos territórios e dividir seus esforços fazem com que o planejamento feito e a meta estabelecida, sejam alcançadas com maior rapidez e principalmente assertividade, planejar é ótimo mais executar é bem melhor.

8. Dinheiro.

Se você colocar a informação e a inteligência em primeiro lugar, o dinheiro sempre continuará entrando, assim fazendo que sua receita cresça e você conquiste outros mercados, no ecossistema de inovação foi um período em que os investidores mudaram de estratégia. Uma empresa valiosa é aquela que gera dividendos e solidifica as operações, "Startups" que só buscam investimento e não prezam pelos seus resultados, sua avaliação vem caindo e estão sendo menos atrativas para o mercado, então, ser assertivo nesse momento é fundamental.

9. Registre sua marca para a posteridade.

Esse pequeno passo é muito importante para que você se estabeleça de fato e de direito no hall de empresas e com isso, fazer uma pesquisa de marca é incrivelmente importante para refletir a importância do seu nome e negócio.

10. Renasça como a Phoenix.

Caso o negócio não esteja caminhando bem, não tenha medo de mudar tudo e recomeçar - mas lembre-se que é preciso fazer isso mirando para o lugar certo e com a estrutura mínima viável. Para acompanhar as tendências e se antecipar a elas, entregando produtos e serviços úteis e relevantes para os consumidores, as empresas precisam ter coragem de se reinventar, o que muitas vezes pode significar transformar totalmente os produtos e soluções oferecidos, praticamente “matando” o negócio que se tinha até então em busca de algo melhor e mais inovador.

11. Ter vários parceiros é uma estratégia fundamental.

Como um regimento e uma tropa, cada divisão de especialistas, apoia a outra com suas expertises e funções, no mundo empresarial, não é diferente, sendo fundamental a empresa ter parceiros estratégicos que apoiem a empresa no pilar dos conhecimentos e planejamentos, bem como, de autonomia para que a empresa possa de enveredar em novos desafios, com apoio de profissionais capacitados a fazerem com que seu negócio decole internacionalmente e saia fora da caixa.

12. Networking.

O relacionamento é tudo e principalmente o olho no olho é fundamental para manter vivo os bons relacionamentos, com seus colaboradores, fornecedores, parceiros e principalmente clientes, estar atento com o que sua rede de relacionamentos, tem em mente o que você pensa e como agi é imprescindível no mundo atual, por mais que o mundo se individualize, manter sua rede de relacionamentos sadias, com atitudes honestas, idôneas e eficazes, faz de você uma referência no mercado.

13. Tenha atenção à saúde mental dos colaboradores

Em uma sociedade onde a depressão, ansiedade e estresse têm aparecido com frequência, é essencial que empreendedores estejam atentos à saúde mental da equipe, em um mundo que a pressão por resultados é cada vez maior, mas, estarmos atentos a isso e criar um ambiente feliz é uma linha tênue para que você não exija os resultados de uma forma mais assertiva, com isso, o diálogo é a melhor maneira de entender o que sua equipe sente e principalmente como ela pode ser mais efetiva, com técnicas e práticas simples que podem ajudar a alcançar os objetivos mais rapidamente e com eficácia comprovada.

14. Resiliência.

A resiliência deve ser a maior parceira do empreendedorismo. Criar e manter um negócio é desafiador. Por isso, é necessário ser resiliente, entendendo que obstáculos surgem, mas que caminhos precisam ser encontrados para superá-los.

15. Educação e saber.

De acordo com o programa de pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), 38% da população gera renda com o próprio negócio. Ou seja, aproximadamente 51,9 milhões de pessoas de 18 a 64 anos têm um negócio ou estão envolvidos na criação de um. Entretanto não recebemos a educação empreendedora necessária, despreparado que somos e sem gana de conhecimento aumentamos o risco de o negócio morrer logo nos primeiros anos. Há muito conhecimento prático disponível para viabilizar a transformação de ideias em negócios de forma consistente. Além disso, recomendo a busca por mentorias com profissionais que empreenderam e já superaram o seu desafio atual.

16. Execute com rapidez, se errar admita e corrija rápido.

Um dos grandes erros de quem empreende é focar demais no campo das ideias e deixar de lado o que realmente importa: colocar a mão na massa! Por isso, para ter sucesso nos negócios em 2023, é preciso aplicar as ideias no mundo real. Quando você não tiver que tomar uma decisão, então não tome essa decisão, mas, quando você tiver que proceder, não fique em cima do muro, ou seja morno, isso fará mal para você e o arrependimento te trará sentimentos desnecessários, com decisões que deviam ter sido tomadas e foram adiadas, os erros e acertos fazem parte do seu negócio, mas, a correção dos erros ou do rumo, também é algo que deve ser feito rápido a insistência pelo errado, a teimosia ou a arrogância de não ver que o caminho tomado não é o certo, levaram a muitas empresas fecharem seus negócios e não prosseguirem com um futuro brilhante que tinham.

Espero que tenham gostado de mais esse artigo, se possível, curtam, compartilhem, salvem para ler posteriormente e claro, estou totalmente a disposição em conversar com todos.


Nos sigam em nossas redes sociais, principalmente aqui no Linkedin e Instagram e se inscrevam em nosso mais novo canal do Youtube, onde compartilharemos dicas, curiosidades e entrevistas sobre o mundo de comércio exterior.

Grato.


Douglas de Lima

Chief Executive Officer and Founder da Brazilian Look Consultoria de Negócios Internacionais.

Formado pela Universidade Nove de Julho em Comércio Exterior, Pós Graduado em Internacionalização de Empresas e Gestão de Negócios Internacionais pela Fundação Dom Cabral, Marketing Internacional pela ESPM e Export Supply Chain Management at Canadian National Railway, Certificação Ministrada nas cidades de Toronto e Montreal no Canadá, com 22 anos de experiência de Comércio Exterior e Membro de Comitês de Gestão de Negócios internacionais como o Programa Think Plastic, programa que apoia as exportações da indústria de plástico brasileira patrocinado pela Apex, Palestrante do Sebrae, Fóruns e Congressos de Internacionalização de Empresas, esteve presente em mais de 70 países e realiza negócios em mais de 100.


Desde 2006 a Brazilian Look atua mundialmente com um time de consultores renomados, localizados nos pontos mais estratégicos do globo, realizando consultorias, gestão e internacionalização de empresas, planejamentos estratégicos, estruturação de negócios internacionais, investimentos e comércio exterior, nossas divisões de negócios dedicam-se a importação e exportação de uma série de produtos e serviços, com escritórios próprios no Brasil, Portugal e China conectamos todos os continentes em uma rede focada na internacionalização do ativo mais importante, nossos clientes.



18 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page